quinta-feira

MONOLOGO DA SOLIDÃO ARREPENDIDA


               Esquecidos. Os homens, mulheres e crianças as quais Deus e seus filhos viraram a costas.Vagam num umbral chamado sociedade de consumo buscando apenas sobreviver, sorrir e sonhar.Eles amam e são amados a sua maneira.Eles sorriem quando ganham um esmola. Um mundo onde o amanha é a incerteza da fome e o ontem apenas aconteceram para ser esquecido.Nas ruas, esquinas e avenidas eles pedem ou imploram por um pouco de dignidade.Jogados nas calçadas, dormindo nas malocas ou drogados nos bares da vida eles fazer parte de nosso dia a dia.Todos nós somos tios de milhões de brasileiros que não tem a quem recorrer para sobreviver e apelam para a mendicância.Sentir vergonha por não puder mudar o que não pode ser mudado.Infelizmente o mundo ainda é cruel.Para alguns terem muito outros não podem ter nada.Tudo que nós sobra, inclusive amor, falta na vida deles que apenas vivem por viver sobreviver das sobras e restos de nosso mundo perfeito e politicamente correto.Mendigos.Miseráveis.Trombadinhas ou crianças que nunca vão ser crianças parados nos sinais, vivendo caridade de quem os despreza.Mórbida e cruel situação de se estar atado a um sistema onde lei é do mais forte excluindo todo um universo de almas que se perdem nos dentes do capitalismo selvagem e costuma sangrar até a morte nós fazendo chorar pela nossa impotência.Porquês não importam porque uma força maior esmaga qualquer atitude que busque o fim da miséria absoluta de maneira imediata.Pena que Jeová tenha que castigar inocentes em nome de uma ideologia que medo o valor de uma vida em dinheiro.