quinta-feira





Tenho saudades das sessões de domingo dos cines Capitólio, Pelotense, Guarani,  Tabajara e Pelotense( O Cine Rei estreava seus filmes  pornográficos nas quintas feiras!).Não existia, para um adolescente  em Pelotas nos anos 80 nada mais vanguardista que ir na sessão das 22:00hs pois as sessão das 20:00hs somente iam crianças.Tinha os extremistas que iam na segunda-feira.Os Nerds iam à tarde.Eu era pop: Fliperama.Aquários.Zum-Zum.Capitólio as 22:00hs de domingo era sagrado.Lembro de ter assistido o Exterminador do Futuro e até hoje sonhar com a  Sarah O’Connor em meus devaneios noturnos.Os Caça fantasmas, Amadeus, ET, Ghandi,O Império do Sol, Os Caçadores da Arca Perdida (Este eu assisti no já decadente cine Fragata nas sessão das 22:00hs de um sábado), Coisas Eróticas, Calígula entre tantos títulos inesquecíveis que estes cinemas foram palco.Exibições memoráveis com o Capitólio lotado em cima, em baixo e com gente sentada corredor.O Guarani metia gente pelo ladrão. Camarotes atulhados.Naquela época era proibido comer pipoca no cinema(???????????????????) e tínhamos que torrar uma boa grana em chocolates e balas de goma. Lembro que a maior revolução do cinema  foi quanto o Cine Pelotense teve a fantástica e genial idéia de colocar um freezer para vender refrigerantes – Algo totalmente utópico e  impensável na Pelotas da época. Todo o pelotense burguês se apresentava nos domingos no cinema, seja sozinho, com namorada ou com a família. All Star ou Samello  nos pés. Calças   Wlangler, Pierre Cardin, Calvin Klein ou IVS.Camisetas O.P. ou Lacoste compradas na Timpano, Trapos & Trekos ou na Denise no carne em 5 vezes sem juros(Cartão de crédito somente existia nos filmes!).As escolhas eram muito restritas. Poucos tinham carro ou moto e depois do cinema o pessoal ia para a Avenida Bento Gonçalves matar a larica com um bauru e no maximo uma da madrugada tava todo mundo dormindo porque tínhamos aula ou trabalho no outro dia pela manha.Gostaria que os mais jovens imaginassem uma Pelotas sem TV a cabo(Opções: Globo ou Bandeirantes cheia de chuviscos e deu) e sem internet.Agora eu entendo porque minha geração se viciou em leitura – Foi por falta de opção que livros difíceis de  Milam Kundera e Umberto Eco viraram Best-Sellers em Pelotas. Bons tempos aqueles parodiando Franco Barreto na Tupanci.Lembrei do Participasom e outros programas onde durante anos tentei pedir uma musiquinha e nunca consegui tamanha era a audiência.Conseguir participar de um programa de radio em Pelotas era ser um BBB. Aparecer na televisão era um Oscar.Lembro que praticamente todo o pelotense que queria se informar bem sobre tudo o que ocorria mundo afora escutava o Tufy Salomão.O que o Tufy falava na Radio Cultura corria que nem rastilho de pólvora na cidade.








         A duplicação da Ferreira Vianna me fez começar a ir diariamente ao Laranjal.Com o fechamento do Spiker tive que começar a praticar natação em “águas abertas” e deixar de lado a frescura de ter medo e nojo de “coliformes fecais”.Com estas viagens diárias tenho desfrutado da estrada para a praia e posso dizer qu
ndo um prazer guiar por ali. Uma pena que ouve um grande erro: As rodinhas estão apertadas demais. Em algumas situações “apertadinho” é bem melhor mas em matéria de transito quanto “maior” pode ser menos perigoso e mais prazeroso.Penso que desvirginar o quanto antes as rotatórias ampliando o espaço de um carro e uma moto para dois carros e duas motos permitindo ao transito fluir mais rápido e reduzindo o risco de batidas seria uma medida essencial.Rogo ao senhor prefeito que reveja e mexa nestas rotatórias o quanto antes ou podem acontecer acidentes graves com os jovens embriagados e drogados que costumam circular por ali em alta velocidade durante todo o veraneio.