sábado

 A REVOLUÇAO DAS TAMPAS DO VESUVIO

Fiquei impressionado com a reportagem que li no Diário da Manha sobre os obesos. Por ser “Pudim de Banha” sinto na pelo o enorme preconceito da sociedade em relação aos “Amontoados de Lipídios”. Os afrodescentes se queixam de barriga cheia, pois a rejeição que sofrem por parte da sociedade não chega aos pés do sofrimento das “Chupetas de Baleia”. O que as pessoas fazem chega a ser doentio e que esta lendo isso sabe bem do que digo. Vem um rol de sentimentos desde uma ternura até a repugnância. Toda a pessoa se acha no direito de inferiorizar e debochar de um “Jóquei de Elefante”. Embora discorde do percentual da reportagem que são bem maiores, mas são mascarados, pois por mais preconceituosa que seja a pessoa ela tem um familiar, um amigo ou alguém querido que seja uma baleia, uma rolha de poço, um sapo ou suplente de Rei Momo e outros adjetivos carinhosos e pejorativos. A sorte do gordo no amor é que algumas mulheres têm fetiche por homens “fofinhos”, mas mesmo assim elas sofrem criticas ferozes de suas amigas por se envolver com um pedaço de banha. O toucinho humano é barrado em todos os segmentos sociais salvo se ele for muito talentoso ou muito rico. Gordos normais, medíocres e limitados são condenados ao ostracismo e tem que contar com a sorte em tudo, desde o amor até profissão. Eu canso de passear por Pelotas e ver a cara de nojo e desprezo das pessoas ao me olharem e algumas risadas depois que eu passo. Por um lado eu fico feliz em fazer alguém rir, mas não são as pessoas que eu gostaria que sorrissem a me ver ou ao falar comigo. Hoje com os portadores de necessidades especiais e os afrodescentes em alta na mídia e no mercado de trabalho todo o preconceito e ódio enrustido na humana politicamente correta esta sendo disparado em direção aos gordos. Creio que os quilos a mais dêem aos gordos mais um sexto sentido: O de ver as pessoas como elas são de verdade através de sua consciência. Quanto aos gordos resta o prazer de sempre ter alguém muito mais gordo e podemos ter o mesmo preconceito que os magros têm conosco repassando as feridas e humilhações adiante. É uma escadinha: Quem tem 70 quilos debocha e ri de quem tem 100. Quem tem 100 quilos repassa preconceito ao que tem 120 quilos e assim por diante. Ser gordo alto tem suas vantagens, pois existe sempre a oportunidade de humilhar e sentir superior a alguém, mas guloso que a gente. A vida proporciona esta experiência maravilhosa de eu ter o mesmo preconceito que as pessoas têm de mim em relação aos outros gordos. Mas mudando de assunto: Dias destes vi no Big uma mulher tão magra, mas tão magra que meu deu medo – Não tinha bumbum e era literalmente um risco. O mais incrível de tudo que ela tinha um namorado. Eu não entendo como alguém pode se ligar a uma pessoa assim! Que coragem! Ainda bem que eu sou uma pessoa que se despiu destes valores ultrapassados sendo totalmente esclarecido avaliando as pessoas somente por seu caráter.






CHAMA O SANATÓRIO.
Muitos espectadores do SBT estão oferecendo dinheiro ao Silvio Santos para ele sair da crise. Como disse um espectador: “Um homem que deu tanto dinheiro para o povo não pode ficar desamparado numa hora tão difícil”. Esta foi uma das maiores provas de ignorância do povo brasileiro (Aquele mesmo que acredita que um Deputado Federal ganha à mixaria de R$ 16.000,00 que é divulgado enquanto o salário real é de R$ 166, 512,09 mais os agrados das empreiteiras – Fonte: “Câmara dos Deputados” - e acha muito, ficando revoltando sem ter a mínima noção de quanto dinheiro movimenta um parlamentar e exerce sua cidadania sem saber o que a palavra quer dizer). Depois disso chego à conclusão que o brasileiro precisa é voltar ao colégio e fazer seus cérebros atrofiados, preguiçosos e sedentários funcionarem. Antes eu tinha pena dos espectadores do SBT. Hoje fica difícil ter qualquer sentimento por pessoas tão tapadas e alienadas. Vendo atos isolados destes tenho que admitir uma coisa: Nossos políticos são abençoados, pois se não fossem suas tramóias e trapaças manipulando o voto popular sabe-se lá quem estaria no poder e o que seria o Brasil de hoje. Nunca se esqueçam: Sempre pode piorar. O voto orientado pelas pesquisas de opinião é única saída do pais sobreviver a toda a ignorância de seus habitantes. O Brasil tem o maior problema que um pais pode enfrentar: Um povo que foge do saber e do conhecimento com medo de aprender e mudar suas convicções imorais e ultrapassadas.