segunda-feira

TEMPO DE DESPERTAR


O medo de ser eu mesmo no mundo onde quem é verdadeiro é ser marginalizado e hostilizado pelo sistema. Às vezes olho no espelho. Assusto-me. Eu sou o que eu jamais imaginei ser quando eu tinha vinte anos. Eu sou velho. Falo por mim. Os que deixaram descendentes ou tem filhos fazem do futuro deles a sua perspectiva de vida. Obviamente não vou generalizar, mas a felicidade de um filho é a felicidade de um pai. A opção por encerrar meu clã foi algo pensando muito cedo. Para ser pai tem que ser muito cuiudo. Entre ser um pai de merda e não ser pai, optei pela segunda opção. Isso me da ao direito a dizer que cada minuto deve ser vivido ao maximo, e que cheguei aos 40 com a conclusão que a vida é boa... uma boa merda...onde sofremos...as minhas únicas motivações para viver são: Talvez o inferno seja aqui e tentar fazer as pessoas sorrirem ou pensarem um pouco na vida pois o resto foi pura decepção.