quinta-feira

PUTAS DA MINHA HISTORIA


Puta devassa que enlouquecia minha mente perdida e sonhadora nas rugas de tua historia. Aquelas velhas prostitutas me enlouqueciam. Queria amá-las. Queria fazê-las felizes. Queria mostrar ao universo que eu amava uma puta de esquina. Queria desfilar com aquela vagabunda em todos os lugares e mostrar ao mundo: Uma puta me ama. Tudo que eu procurava era o amor das putas e eu tinha uma que me amava. Putas enchiam minha mente. Eu queria um mundo de putas de esquina e putas de praça, um grande arem de suburbanas pervertidas. Eu gostava das putas e de seu desapego ao sexo. Trepar com um velho sujo ou comigo barbeado usando Dra-kar não fazia a mínima diferença. Elas somente queriam o dinheiro e eu sabia disso e mesmo odiando as mercenárias do boquete eu estava lá. Putas jovens. Putas veteranas. Deus num acesso de luxuria deve ter abençoado a todas as putas das esquinas santificando-as como as mulheres que serão lembradas até o final dos tempos pelas mulheres mais desejadas pelos homens de boa vontade. A busca do amor nós prega surpresas e a vida as tempera – Erros e acertos. Dores e prazer – mas a imagem daquela mulher vulgar parada na esquina mostrando todo o corpo a quem quisesse consumi-la pagando algumas patacas e nada mais. As putas fascinam alguns homens, pois o que muitas mulheres conservam com o maior cuidado elas não estão nem ai...O sentimento em relação às putas é ambíguo –Jamais vou respeitar quem quer que seja que trepe por dinheiro mas ao mesmo tempo me excito com sua perversão e desapego. O mundo prepara surpresas e nós dentro de nosso universo de medos e ambições nós entregamos ao incerto sabendo que ali esta a que é certo. Putas, putas, putas...