sábado

OUTRO DIA


Eu nasci numa espaçonave louca galáxia da Casa do Carvalho. Um feto sem rumo e sem sentimento que vagava nas Terras do Lugar Nenhum. Corte milimetrico de prazer. Ondas no Mar das Prostitutas ou no Rio das Piranhas

– Vacas profanas –

Sodomitas no poder –

Padres masturbam os jovens ninfetos do time de futebol da vila dos humildes papeleiros. Cidade. Incapacidade de ter uma ereção. Impotente & Sentimental ou uma velho homossexual que nunca se deixou penetrar, pois nem coragem para isto teve. Neuroses neuróticas de um neurótico nervoso.

Comer abundantemente as sobras das comidas deixadas pelas dementes decoradoras de lares desfeitos –

Roma em chamas e Nero com sua harpa cantando musicas de Natal.

Trogloditas lésbicas fumam o crack do Deus de Satanás sentadas na calçada caçando travestis heterossexuais com medo dos Deuses Curradores. Currado pela própria fé – Assim chorava o seu Zé de quatro pés enquanto um santo e pecaminoso eleito pela fé de seu próprio povo o currava sem dó nem piedade – escuto os gritos dos Deuses de faz de conta aprisionados dentro de nossas próprias almas pequenas, fúteis e infantis.