sexta-feira

ASTROGILDO


Astrogildo era tímido. Uma mala sem alça. Não sabia falar perto das pessoas e raramente comia alguém em sua vida frustrada naquela cidadezinha esquecida no fim do mundo à esquerda. Todos riam de Astrogildo. Todos debochavam de Astrogildo. Todos achavam Astrogildo ridículo. Mesmo assim Astrogildo se considerava feliz. Passava sua vida entre os livros de Julio Verne e o vicio compulsivo da masturbação. Tudo que Astrogildo queria era o amor de verdade de uma mulher. Era pedir muito, pois nem Deus poderia atender ao pedido de Astrogildo. Ele era muito feio para os padrões de beleza e glamour do século XXI – As mulheres e os pouquíssimos amigos tinham vergonha de sair com ele ou até de cumprimentá-lo na rua. Um dia Astrogildo viu que ele não ia mudar o mundo e não podia mudar sua aparência e decidiu ser feliz a sua maneira. Nos seus sonho era amado, não por todas as mulheres do mundo mas apenas por uma de verdade. Na vida real erasomente amado por sua mãe. Cansado de se masturbar lendo revistas eróticas ou assistindo vídeos pornôs Astrogildo resolveu comprar um computador. A única hora que Astrogildo se sentia feliz era quando se masturbava. Ele sabia que somente Deus via aquilo e que seu aspecto repugnante para a maioria das pessoas não iria assustá-lo. Astrogildo tinha medo de olhar para as pessoas. Agora Astrogildo podia mudar de vida. Ver as pessoas sem ser visto. Não precisava assustar a mais ninguém. Astrogildo ja estava no fim da vida e através do computador conheceu uma menina bem mais jovem. Ela queria ver Astrogildo, mas Astrogildo se negava. Esmeralda e o Corcunda de Notre Dame, a Bela e a Fera... Astrogildo era romântico e tudo que queria na vida era amar. Uma única vez Astrogildo tinha mostrado o rosto para alguém numa webcam: - Você parece um sapo deformado... essa foi a resposta de um belo anjo de coração dócil e meiga que ele tinha conhecido. Ele queria ver e não queria ser visto. Passou o tempo e Astrogildo decidiu se deixar ver pela amiga jovem que gostou do velho e feio solitário. Quando viu o rosto da menina, que tinha idade para ser sua filha Astrogildo desligou a web na hora. A menina do outro lado insistiu e não riu do rosto de Astrogildo. Astrogildo imaginou que ela precisava de um pai e ficou seu amigo. Papo vem e papo vai e foram ficando mais íntimos embora Astrogildo ficasse sempre na penumbra para não assustar sua amiga. O tempo foi passando e os laços entre aquela adolescente e Astrogildo foram crescendo, pois Astrogildo tinha um coração de ouro. Um dia ela resolver mostrar seu corpo para Astrogildo. Astrogildo chorava de emoção. Ali começou uma estranha historia de amor... todos os dias Astrogildo se masturbava diante do PC assistindo sua amiga nua a se mostrar. Após cada orgasmo Astrogildo chorava. Um dia a jovem amiga de Astrogildo pediu para vê-lo se masturbando: Astrogildo pensou durante muito tempo e aceitou. Preparou a webcam, teve certeza que sua mãe estava dormindo e começou a fazer um breve show para a sua amiga. Esqueceu-se de sua feiúra e virou um gogo-boy... foi um dos momentos mais felizes na vida de Astrogildo...ele dançava e se masturbava nu em frente a uma web cam...colocava seu órgão genital quase dentro da web cam...esta sendo uma noite maravilhosa...Quando Astrogildo olha para trás e vê sua mãe e uma tia que morava na mesma casa olhando atentamente sua performance. (.....................) Nada foi dito. O PC vendido. As velhas revistas voltaram a ser companhia constante de Astrogildo e os grandes amores ficarão para outras encarnações. Astrogildo descobriu que tinha nascido para ser sozinho e que deveria conviver com isso para todo o sempre. Decidiu viver seus sonhos solitários , sozinho dentro de seu quarto até o final dos tempos... ele estava esperando a hora de perguntar a Deus porque tinha feito isso com ele. Astrogildo descobriu que as pessoas normais não vivem de sonhos, mas ele não era uma pessoa normal. Talvez um escolhido ou um aborto da natureza... (.......)