segunda-feira

PROSTITUTAS DE MINHA VIDA.


Sempre fui fascinado por prostitutas de rua. Prostitutas de esquina, que transam com vinte ou trinta por dia – Lembro de ir nas zonas de Poa - Voluntários/Farrapos/Garibaldi - Uma espécie de serie” Z” da prostituição “underground”. Praticamente todas as mulheres que amava me rejeitaram ou eram fraquíssimas na cama. Entre transar um cubo de gelo ou uma vagabunda fedorenta na maioria das vezes eu apelava para uma masturbação solitária, mas rolava uma grande carência que as namoradas não preenchiam. Lembro daqueles Hotéis da Voluntários e das farras com jovens prostitutinhas . Eram de executivos a lixeiros, e elas atendiam a todos. Eu sonhava eu conquistar o coração de uma ninfeta devassa daquelas, trazer para minha Pelotas , dar uma banho de loja, botar a estudar, bancar um tratamento de saúde geral (principalmente dentário) e tomar conta dela – Ter a minha prostituta de esquina particular. Mas tem um problema – Uma prostituta será sempre uma prostituta, e por mais que se ame uma prostituta jamais se deve confiar nela (faça uma analogia à classe política mas as prostitutas ainda assim são mais confiáveis, honradas, humanas e tem vergonha na cara!!!).Ainda hoje,mesmo dependente de vasos dilatadores (Viagra) para “tentar” fazer sexo, sou fascinado ,e fico sempre mexido quando vejo uma prostituta na esquina, com aquelas roupas provocantes prontas a fazer tudo por alguns trocados – Mendigas do sexo e nada mais...Muitas vezes, nas noites insones eu não sei se as amo ou as odeio...mas antes de tudo as admiro pela coragem.