sábado

A PRINCESA E A MELECA.

Eu estava na Rock Star. Uma boate legal para a cidade. La ia um monte de gatinhas no cio. E la tá o André com o nariz congestionado e uma baita gripe desgraçada, mas os hormônios falavam mais alto. Eu estava colocando uma secreção enorme pelo nariz. Era inverno mas não interessava, pois um homem de vinte e poucos anos quer sexo a qualquer custo. Frio, gripado, chovendo e la fui eu para a festa. Peguei, me entrouxei de roupas, tomei uns dez fluvirais para segurar a secreção e larguei de moto para Rock Star – chuva e tudo, com minha velha jaqueta de couro que uso até hoje.Enfrentei uns 10 km de estrada e cheguei na festa. Dei uma calibrada no cérebro e entrei. Depois a cada dez minutos eu ia calibrar no banheiro para melhorar o astral pois odeio festas e caça – faço isso porque é a nossa natureza – Predadores.Rolou uma gatinha de uns 20 aninhos, um cabelo lindíssimo, uma rica bunda e raio de cara. Uma Raimunda, feia de cara e boa de bunda.Cheirosinha para caramba (mas que mulher não fica cheirosa numa festa? )Na primeira serie de musicas lentas que deu já tirei a mina para dançar. Minha voz tava mais roca que a da Kim Carnes e a secreção se acumulando junto com o pó no nariz – A secreção não deixou o bagulho chegar ao cérebro para dar o clima. Eu to tentando convencer ela a ir embora daquela festa idiota para um saudável e confortável motel. Ela relutando e eu quase esmagando-a no arreto. Eu não tinha tentado beija-la pois tinha que ir ao banheiro "assoar" ou "soar" o nariz. To enredado naqueles cabelos crespos tentando meter a língua em sua orelinha.Numa dessas me da vontade de espirrar. Eu seguro e fecho a boca respirando fundo!Meleca!!!Muita meleca sai do meu pulmão via nariz direto para aquele cabelão. Uma gosma só naquele cabelo moreno.PQP.O Descon tinha feito efeito. Comecei a afagar com o nariz o cabelo e os ombros dela para limpar-lo ( o meu nariz!) pois a hora que as luzes acendessem eu não sabia o que fazer. Quando a ficou iluminada e começou a tocar Faroeste Cabloco do Legião eu fui ver o estrago: O cabelo da minha tava uma meleca só do lado que estava meu rosto. Eu podia alegar que tinha derramado caipira de abacaxi mas eu tava tomando cerveja. Sei que soltei as mãozinhas dela e olhei para aquela melecada (anos depois teve uma cena semelhante num filme com a Cameron Dias e o Ben Stiller – Quem vai ficar com Mary mas ao invés de ranho era esperma) e para os olhos dela, negros e dei tchau, saindo desesperado porta a fora querendo me enfiar no cú de um burro. A partir daquele dia eu decidi que gripado eu não sairia mais para caçar. Voltei para casa direto, tomei um banho” lendo”a “Playboy” e a “Elle” para ficar bem relaxado e fui dormir lembrando do que aquela menina ia pensar quando visse a tonelada de meleca em seu cabelo. Pode parecer sem graça mas para quem viveu a situação ela é inesquecível.