domingo

MEU PRIMEIRO FIO TERRA

La tava eu, nos anos noventa, atrás das fêmeas e das mulheres para saciar minha tara por sexo sem compromisso e muito putaria, perversão, promiscuidade e depravação. Fui numa boate puteiro- aquelas que as pessoas vão para trepar mesmo, sem nhenhenhe – Algumas minas vão para trepar e dizem que vão para dançar mas é negocio é páu na xota e vamos gozar adoidados/ Domingo à noite –Entrei pedi uma ceva e me escorei na parede para era não cair (a parede!). Determinada hora pintou um mulher bem gostosa – um rico dum bundao.Um cuzão do caralho!!! Começou e me cubar e eu... putz- Um tarado tímido – Tomei coragem, um inibex e fui. Apresentei-me e já convidei para sair, pois nunca fui bom de papo em festas. Ela aceitou na hora. Eu tinha uma Agrale toda fudida, personalizada, que foi um traficante local e toda hora me atacavam me confundindo com ele e perguntando se eu não tinha uma buchinha de dez...mas quando eu vejo o cuzão da mina indo em direção a outra moto – a dela:Caralho. Uma Strada zerinho. Puta que pariu. Eu tinha uns vinte conto e onde eu ia comer aquela mulher? Fomos para um trailer na avenida – Eu perguntei se ela tomava cerveja e ela disse que só tomava uísque- Sentamos numa mesa e em cinco minutos estávamos nos beijando e ela agarrando meu pau – Perguntei se ela fumava um baseado: Ela me disse que só cheirava uma branca - Com os quinze conto que tinham sobrado ou eu comprava um grama de pó (em 1996), ou comia ela num motel barato. Sei que fechou que em dez contos a conta do trailer e fomos para qualquer lugar...”Qualquer Lugar” era o nome do motel que tinha ar e vídeo duas horas a dez contos - naquela época(Se faltasse gasolina ou furasse o pneu careca da moto ,eu tava fudido). A mina tava louca para dar uma trepada. 30 anos e três filhos.Separada. Tava seca por uma piça e eu tava seco por uma bussa – nada mais que uma troca de amor e carinho.Tenho certeza que ela olhou para mim e pensou: Vai ser com este gordo mesmo!!!Sem muito papo, começamos a tirar a roupa, pegamos preservativos (por incrível que pareça foi verdade!) e já começamos um simpático 69. Nem um banhinho rolou, para ver o atraso dos dois. O troço ia na mordida. Ai começou a rolar umas caricias dela com seus dedos no meu esfíncter...uns beijinhos,uma batidinhas , ate ai tava bom e eu fazia uma serie de mordidinhas critorianas com o dedo atochado no rabo dela, num vai e vem frenético e sem parar, quase paranóico. (eu tava no paraíso - um sorrisão só)- A lingüinha no cú não me incomodava- Numa dessas senti o dedo se aprofundar, quando fui tentar fazer a feição para sair fora e a vaca tinha feito cafuné na minha próstata, com direito a repley e tira-teima; O dedo dela parecia uma anzol. Foi um berro descomunal no Qualquer Lugar Motel – Quase dei uma porrada na mina e fiz um escândalo que o interfone tocou perguntando se havia acontecido alguma coisa...Tchê, que coisa bem horrível...Ela ainda tinha unha...Mas que dor, caralho!!!Depois de certo tempo eu me acalmei ( tomei mais um inibex!) e demos uma trepada legal, tentei me vingar em matéria de sexo anal nela mas depois ela me confessou que este era o seu grande fetiche.”Ela adorava sexo anal”. Na minha ânsia de vingança dei um prazer fantástico a ela. Naquela noite eu tinha sentido a dor de um estupro...que merda...meu primeiro fio terra – Seguidamente eu cruzo por essa mina, nunca mais conversamos, mas ela sempre acena ou me cumprimenta com um grande sorriso lembrando a inesquecível cena na vida de ambos: – Um homem pelado com a mao na bunda gritando e urrando da puto cara: - Porra, sua vaca de merda, porque tu me enfiou o dedo no cu?!???? ...pelo menos podia ter avisado, né?