quinta-feira

TEMPO PERDIDO.

Muito fraca. Fraquíssima. Os lideres públicos são limitados intelectualmente e possuem muitos vícios que não podem ser permitidos numa política moderna , transparente e eficiente. Não acredito em ma fé dos gestores eleitos e nomeados e sim falta de capacidade para exercer a função devido a não terem talento, capacidade ou preparação psicológica para administração publica. Exemplos: A pobreza mental de achar que um cursinho de 110 horas qualifica alguém para usar um revolver, isso dói. ..A ingenuidade de achar que pseudo-asfaltando ruas e fazendo paradas de ônibus esta se governando uma cidade de 350 mil almas... Governar Pelotas, a crise que ela enfrenta exige coragem, astucia e inteligência bem acima da media.Cursinhos em universidades estrangeiras qualquer um que tenha grana faz. Um bom governante jamais será popular- Isso não existe.Pelotas tem tudo para sair do marasmo- Mas os lideres sonham muito baixo e são simplórios (Fenadoce com temática da Disney!!!) Para onde vai um lugar assim? Um lugar onde se cobra a água por área e não por consumo!!!Um parlamento municipal totalmente patético as necessidades do cidadão, vivendo em outro mundo batizando ruas e pedindo um asfaltinho ou uma lâmpada numa rua qualquer, para agradar a um eleitor ,alem de debates infinitos que só levam a perda de tempo.Turismo: Zero.Esporte amador e profissional:Zero.Saúde e educação: Zero. Habitação: “Minha Casa Minha Vida” no Dunas e no Getulio(“qualquer pessoa constrói sua casa nestas vilas e não precisa fazer propaganda oficial disso”)??Tão tirando para bobo as pessoas – Ingenuidade e incapacidade de gerenciar recursos públicos para o bem comum- Pelotas tem tempo para resolver isso mas estamos marcando passo com uma administração publica apenas decorativa pois não faz nada pelo povo, e sim o povo tem que fazer por si e por ela e ainda paga por isso.Tenho certeza que não é ma vontade dos últimos lideres municipais e sim deslumbramento infantil – Eles até que tentam mas fazem um grande fiasco.Pobre princesa do inicio do século XXI...