domingo

O PAPEL HIGIENICO, PAULO FRANCIS, MANCHETES E A METARMOFOSE.

Na minha infância não compravamos papel higiênico por falta de dinheiro e usávamos uma patente. Um chatozinho de madeira no fundo do terreno do chalé qual morávamos. Lembro que víamos televisão espiando na janela da vizinha. Conga, havaianas, kichutes e seus chutes, o ki-suco...lembro que o papel higiênico era um jornal ou revistas velhas amassadas. Aprendi a ler muito cedo e quando ia para a patente ficava lendo o jornal ou revista e me deliciando com aquelas informações. Acostumei-me a ler no banheiro e acabei ficando viciado em jornais, livros e revistas. Hoje eu agradeço por minha família não ter tido grana para comprar papel higiênico pois o pouco que sei, foi graças aos incentivos que velhos jornais e revistas davam num momento tão particular a uma criança que não imaginava o qual cruel e desumano iria ser o mundo que ela iria enfrentar.

26 comentários:

  1. =]
    Bem que dizem que tudo na vida em uma parte boa.
    Estou concordando ainda mais com esse ditado agora!

    ResponderExcluir
  2. que interessante, muito bonita a tua história.
    e como disseram no comentário acima... você soube como aproveitar o lado bom naquilo que às vezes parece não apresentar um.
    =]


    Thiago Assis
    www.thiagogaru.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Cara, quando agente era mais nova ( agente= forma coloquial de dizer nós, mais especificamente eu e minhas 3 irmãs) também passava dificuldade finaceira e eu lia muita revista assim também. Outra coisa curiosa era não ter escova de dente. O dinheiro era pra comida e roupa mesmo. Agora essas coisas de kichutes , só ouço minha mãe falando.Até hoje ela chama all star de conga.

    ResponderExcluir
  4. Cara, quando agente era mais nova ( agente= forma coloquial de dizer nós, mais especificamente eu e minhas 3 irmãs) também passava dificuldade finaceira e eu lia muita revista assim também. Outra coisa curiosa era não ter escova de dente. O dinheiro era pra comida e roupa mesmo. Agora essas coisas de kichutes , só ouço minha mãe falando.Até hoje ela chama all star de conga.

    ResponderExcluir
  5. hahaha, dsculpe mas tive que rir em imaginar você lendo e depois usando o papel para se limpar :x

    Mas foi uma forma de você ler, ter amor pela leitura...enquanto muitos outros tem de tudo e não se dedicam e aproveitam as oportunidades

    http://paranoiaelucidez.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Até hoje ouço manhia chamando all star de conga.Jáli muita coisa no vaso sabitário também.Já passamos muita dificuldade financeira em casa.

    ResponderExcluir
  7. Realmente

    falou tudo

    parabens pelo texto

    ResponderExcluir
  8. aprendi a ler cedo tb, graças a minha bendita curiosidade rs


    http://opniaoinutil.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. é... Cultura se adquire de qualquer forma.

    ResponderExcluir
  10. Opa tô aqui é so me dizero que fazer

    me add no msn

    leonardo.francellino@hotmail.com

    to esperando seu contato

    abraço

    ResponderExcluir
  11. André, precisamos dar valor ao que temos hoje, né?! E ninguém imagina o que algumas pessoas já passaram na vida. Quando penso no que passo hoje, olho o "ontem" quando tive tudo do melhor sem ser rica, não sei como estou enfrentando meus problemas atuais. Como tem pessoas que são simplesmente vampiras. Uma pessoa que já passou por situações dificies é capaz de ter desapego e maior amor ao próximo.
    Engraçado, que vim aqui agradecer sua visita ao BlogZoom onde falou da infância. André, ela foi simples, não tinha luxo. Os meus pais se preocupavam mais no melhor estudo, colégio, e o que comer. Eu morava numa casa enorme, com um quintal fantástico, mas era tudo muito simples. Eu subia em muros, telhados, árvores. Tudo era diversão garantida.

    Bjssss

    ResponderExcluir
  12. Bom, por essa situação eu nunca passei. Meu pai e tios usavam folhas de bananeira. Jornal era raridade por aqueles lados do sertão.

    Mas sua história é interessante, afinal o gosto da leitura adquire-se de muitas formas - sejam elas quais forem!

    abs!

    http://grooeland.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Eu também já fui do tipo que ia ao banheiro junto com revistas,jornais, livros. Mas não foi isso que fez com que eu fosse a viciada em leitura hoje. Ter mãe e vizinha bibliotecárias ajudaram bastante.

    ResponderExcluir
  14. è acho q tds nos ja passamos por poucas e boas na infancia...

    By Anynha ^^)
    http://garotas-amc.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. putz história mt legal nunk passei por essa situação mais...
    a gnt tm kee valorizar o kee tm!

    bjO

    ResponderExcluir
  16. E vemos pessoas que tem tudo reclamando da vida. Nossas experiencias podem ser estimulantes ou traumatizantes, isso vai depender de como vamos aproveita-las.

    0/

    ResponderExcluir
  17. Linda a história!você soube como aproveitar o lado bom naquilo que às vezes parece não apresentar um.Você escre bem,ein?Parabéns!

    ABRAÇOS!TCHê!RSRS!http://culturarock10.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Oi André. Parabéns pelo seu blog!
    Você foi presenteado pelos textos e opiniões que expressa aqui.
    Visite o nosso blog:
    www.grupomaos.com

    Tem algo esperando por você lá.
    Abraços

    Grupo Mãos
    "questionando a mente para elevar a alma"

    ResponderExcluir
  19. sabe qu não me lembrava mais desta época vc me fez relembrar, sera´que por isto que gosto tanto de ler . Lembro-me que os jornais vinham do acougue, padarias ou mercados e eram usados para este fim....

    ResponderExcluir
  20. não sei usar o banheiro lendo rsrsr.

    ResponderExcluir
  21. Espetacular ... ótimo texto ... aprendi a ler da mesma maneira que vc rsrsrsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  22. Coisas tão simples, e que agradeceremos por elas a vida inteira...

    ResponderExcluir
  23. Isso de ver tv na vizinha aconteceu comigo também. Hoje, em nosso meio, cada vez mais as crianças menos oportunidades tam: os portões estão mais altos, as grades tem mais ferro e as TVs nem estão na sala. Mesmo a sala nem tem janela pra rua! "Esse é o nosso mundo, o que é demais nunca é o bastante" (R. Russo)

    ResponderExcluir
  24. Já era um tanto desumano a situação que vc enfrentava e dar a volta por cima com os papeis de serventia dupla foi espetacular!!!
    Que bom...
    Abços

    ResponderExcluir
  25. aNDRÉ, TER SIDO POBRE, TEM SUAS VANTAGENS E SEMPRE OUVI DIZER QUE O JORNAL DE HOJE, EMBRULHA AS BANANAS DE AMANHÃ... vI QUE ELE TEM MUITAS UTILIDADES NÉ?

    AINDA MAIS OS TENDENCIOSOS QUE TEMOS POR AQUI... OS QUE NÃO DIVULGAM O QUE INTERESSA E É PRECISO, OS QUE NÃO FALAM A VERDADE, OS QUE SE VENDEM... TEEM MAIS É QUE SERVIR PARA LIMPAR A BUNDA, ASSIM, COMO ACONTECEU COM VC, AO MENOS O POVO APRENDERIA A LER, COISA QUE NÃO INTERESSA PARA ELES.

    PARABÉNS.

    BJUS CON

    ResponderExcluir
  26. É o problema tornando-se solução.

    ResponderExcluir

Fala tchê: