sexta-feira

MASCARAS.


Faz mais de vinte anos de sai da universidade. Nestas duas décadas fora do circulo acadêmico e vivendo no mundo normal sinto que faltou muita coisa. Existem muitas distorções no ensino. Muitas vezes as amizades valem muito mais que o aprendizado, embora muitas vezes até o curso seja legal. Pena que muitas pessoas saem ditas prontas para o mercado de trabalho e não consigam diferenciar o mundo real do grande teatro que é a nossa vida. Não podemos misturar a realidade de nossas vidas com os jogos de cena e com os adereços que usamos para conseguir aplausos ou alimentar nosso ego. Por exemplo: Um carro de R$ 100.000,00 faz o mesmo efeito do que um de R$ 10.000,00. Alguns vão dizer que não tem opcionais como trio elétrico, direção hidráulica ou ar condicionado... Mas quem “realmente” precisa disto ao não ser um portador de necessidades especiais? Quando se compra um carro muito caro tem que se ter consciência que é apenas para exibicionismo e na maioria das vezes vamos o observarmos somente o carro e o proprietário não passara de um reles motorista, o que é totalmente verdade. Quando você paga por um perfume de qualidade você tem que saber que o perfume é o show e você não passa de um mostruário de água de cheiro. Por que não se mostra ao jovem o que é a vida de verdade? Claro que o exibicionismo nos traz coisas boas: conseguimos amigos mais fáceis (em todos os sentidos), facilmente somos admirados por pessoas que não nos conhecem ou desconhecem os assuntos nos quais nos achamos especialistas. Temos que ser nós mesmos e sabermos diferenciar do que queremos que pensem de nós. Quanto menos nós misturarmos as bolas melhor. Quando a gente vai a um restaurante de luxo comer algo diferente (também...) temos que ter consciência que estaremos nos exibindo e admirando quem quer que se exibam belas, feras ou palhaços. Somos a platéia de nós mesmos... O que realmente importa no teatro da vida nos é em frente ao espelho o, totalmente nu e solitário. Grande parte das burradas que a gente faz é por acharmos que nos exibindo para todos estamos realmente mostrando a que viemos perante "DEUS”. Isso não é verdade. Uma bela mulher pode despertar o desejo de vários homens, mas jamais poderá ter todos assim como um homem bem sucedido pode ter varias admiradora, mas jamais terá todas as mulheres... O exibicionismo tem limitações.A gente quando nasce pode até ser uma anta, mas morrer anta é burrice. Claro que todos nós gostamos de admirar quem se exibe (da uma inveja gostosa...), mas até um determinado ponto. Ter algo de valor para mostrar aos outros e chamar a atenção para aumentar a auto-estima até faz bem. Casas, carros de luxo, smartphones, mulheres abusando das griffes e homens abusando da prep. otência... Enfim é o teatro da vida...A maior peça de teatro da historia com quase sete bilhões de atores e figurantes (do jeito que asiáticos e africanos com suas guerras estúpidas e imbecis se matam vão ficar na figuração por muito tempo). Eu gostaria que meus professores tivessem me ensinado isso quando eu tinha apenas dezessete anos, pois teria perdido muito menos tempo com vaidades e frescuras e dado mais valor aos sentimentos verdadeiros. Temos que estar vestindo as mascaras todos os dias e temos que despi-las a cada segundo para nos conhecermos de verdade e buscarmos a tão sonhada realização pessoal e espiritual

14 comentários:

  1. Não consumismos objetos, mas sonhos. E nós sabemos que sonhos podem custar muito caro!

    Mais caros que na infância, né? Referências diferente?

    Talvez não.

    Já ouviu que a diferença entre homens e meninos é o preço dos brinquedos.

    Ai, ai, é a maturidade! (?)

    ResponderExcluir
  2. Nossa André, muito bom seu texto, concordo com vc no diz respeito ao comprar amigos, normalmente as possoas que pouco tem em afeto, gastam em dinheiro para assim tentar encontrar afeto comprado.

    Muito bom seu texto...

    Forte abraço

    ResponderExcluir
  3. pow muito bom seu texto!
    gostei!
    um abraçooo
    voltarei embreve!

    ResponderExcluir
  4. Tchê!!
    Hj em dia o dinheiro não compra a felicidade, mas compra o caminho até ela...infelismente, cada vez mais, damos mais valor a coisas materiais e nos apegamos as coisas sem fundamentos, enquanto deixamos a chance de encontrar pessoas e sentimentos gratuitos e muito mais importantes...
    abraços...

    ResponderExcluir
  5. Nossa muito bom seu texto, depois dessa nem sei o que falar... É serio.

    ResponderExcluir
  6. Olha eu acqui mais uma vez!!!

    Abração

    ResponderExcluir
  7. Adorei seu blog... vou voltar + vezes

    ;)

    bjokasss

    ResponderExcluir
  8. Andre, voce deixou um comentario no meu blog. Que eu nao intendi mtu beim... poderia me explicar melhor? =D

    ps. Voce escreve mtu bem!

    ResponderExcluir
  9. Poh um Bom texto
    Parabens mesmo
    Muito bOm ^^

    Parabens pelo blog^^

    ResponderExcluir
  10. Belo texto que caracteriza nossa era pró-consumismo desenfreado e egocêntrico onde a maioria das pessoas vive pra alimentar o seu ego, e o pior disso, como você disse e eu concordo não se aproveita de nada ou quase nandadessa superioridade como parece.

    ResponderExcluir
  11. Muito interessante a proposta de seu blog e realmente,o consumo virou uma questão de realização e não de necessidade.
    Ótimo post

    http://messnatural.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. gostei... sai há pouco da faculdade... 1 ano...
    seu texto é bem realista, e é assim mesmo.

    ResponderExcluir
  13. Estão consumindo nossos sonhos!

    ResponderExcluir

Fala tchê: